PROCURA-SE UM CANDIDATO

Em 2012, o PMDB completará trinta anos dominando totalmente as eleições municipais de Campina Grande. Nesse meio tempo, a sigla se manteve a mesma, mas, seus quadros, quanta diferença! Foram 22 anos de hegemonia do PMDB cunhalimista e, agora, caminhamos para oito anos de domínio do PMDB reguista. Entre um e outro, três anos de um governo petista, que, no entanto, chegaria ao poder por meio do PMDB cunhalimista, mas, no fim, se juntaria ao PMDB reguista. Pois bem. Para que a legenda assegure mais quatro anos às contas de sua hegemonia, terá que, primeiro, resolver suas pendências internas, o que não parece fácil.

A liderança do prefeito Veneziano Vital do Rêgo não é questionada, até porque a política campinense (e paraibana como um todo) é marcada pelo domínio de poucos caciques, aos quais os curumins partidários não têm força, disposição ou estatura para confrontar. Mas, dada a entressafra de bons nomes nos quadros peemedebistas, nem a liderança de Veneziano pode obrar milagre.

Acontece que quando não há nomes que catalisem o sentimento partidário a multiplicação de pré-candidaturas acaba provocando uma dispersão natural, que, via de regra, redunda em choques internos. Não é à toa que a secretária Tatiana Medeiros, que ainda desponta como favorita para a indicação peemedebista, volta e meia fica na mira do fogo amigo. Não é por outra razão que o ex-deputado Walter Brito Neto, ciente das suas poucas chances, vez por outra aciona sua metralhadora giratória, atingindo a tudo e a todos – inclusive seu próprio pé.

O PMDB procura um bom candidato, um candidato que seja viabilizável, e o dilema se estabelece porque a dimensão do partido não permite absorver qualquer nome. Além disso, para a cúpula da sigla, essa será uma eleição vital. Completam a lista de possibilidades o vice-prefeito José Luiz Júnior, o vereador licenciado Metuselá Agra (secretário demissionário) e o secretário Alex Azevedo (Obras). Muitos candidatos, a essa altura da corrida, é sinal de falta de candidato.

Honraria

Na próxima terça-feira, 22, a professora Marlene Alves, reitora da Universidade Estadual da Paraíba, receberá o título de cidadã campinense. Primeira mulher reitora da UEPB, em 2012 Marlene tentará tornar-se a primeira mulher eleita prefeita de Campina.

Justiça

Marlene Alves, que dirige a UEPB desde 2005, é natural de Itaporanga. A concessão do título de cidadania atende a propositura do ex-vereador Romero Rodrigues, hoje deputado federal – e, provavelmente, um dos adversários da reitora nas eleições do ano que vem. A honraria é uma das mais justas já concedidas pela Câmara Municipal.

Não vai

O vereador Nelson Gomes Filho, presidente da Câmara Municipal, não corrobora os planos do tucano Inácio Falcão que, acusando o Governo do Estado de desprezar Campina Grande, ameaça romper e se aproximar do prefeito Veneziano Vital do Rêgo.

Cobrança

Nelson, que também já ameaçou romper com Ricardo, apesar de ter desistido da ideia, reclama do que seria falta de atenção por parte do socialista. “Eu disse a Inácio que o governador pediu tempo, esse tempo está passando e, até agora, não fui ouvido. O governo ficou de marcar uma reunião com os vereadores, mas nada de reunião”, disse.

Decisão

Inácio Falcão teria a anunciada reunião com o senador Cássio Cunha Lima ontem. Segundo Falcão, a conversa deverá definir seu posicionamento em relação ao governador.

Lei ignorada

Após visitar algumas agências bancárias da cidade, o vereador Antônio Pereira (PMDB) mostrou-se indignado com o descumprimento da chamada “Lei da Saidinha de Banco”.

Segurança

Algumas agências ainda não instalaram as câmeras de monitoramento das filas dos caixas eletrônicos, nem os painéis entre os terminais e as filas, como determina a norma.

Lamento

“É inconcebível a falta de cumprimento das leis municipais. O legislativo é a vontade do povo. No caso, necessidade de oferecer segurança”, comentou Pereira em seu Twitter.

Publicado no DB desta quarta, 16 do 11

Nenhum comentário

.