OPINIÃO: 'FAÍSCAS NO NINHO'. E MAIS: PPL MAL NASCEU E JÁ NEGA O PRÓPRIO DISCURSO

O vereador tucano Inácio Falcão deve voltar de Brasília sem uma definição quanto ao anunciado provável rompimento com o governador Ricardo Coutinho. Acompanhado dos colegas Nelson Gomes Filho e Jóia Germano, Falcão conversou com o deputado federal Romero Rodrigues, a quem expôs todas as suas queixas contra o governador, mas não teria conseguido encetar o diálogo com o cacique principal do PSDB, o senador Cássio Cunha Lima, a quem iria propor – segundo garante desde a semana passada – o rompimento com Ricardo.

Os perrepistas Nelson e Jóia, apesar de terem suas queixas, não pretendiam corroborar a tese do rompimento – pelo menos não assumem esse discurso publicamente. Mas, para o vereador tucano, Ricardo estaria tratando Campina com indiferença, apesar de a cidade ter desempenhado papel fundamental na sua eleição e, por isso, Falcão crê que a manutenção da aliança com o socialista pode comprometer o desempenho do PSDB nas próximas eleições.

As reclamações do vereador não são compartilhadas pelo seu companheiro de Câmara e partido Tovar Correia Lima, para quem as críticas de Inácio Falcão seriam precipitadas. “Ele deve estar de cabeça quente. Entendo que o governo tenha dificuldades nesse primeiro ano de mandato para exercer um trabalho mais efetivo, até pelas condições em que encontrou o estado, mas não é verdade que Campina esteja sendo preterida. É só olhar as ações que o Governo do Estado já implementou para confirmar que isso não é verdade”, ponderou.

Tovar também não concorda com o entendimento do colega de que a avaliação do governo na cidade possa prejudicar o PSDB. Ele acredita que o início da propaganda institucional do estado vai melhorar essa avaliação. “A publicidade só começará a circular agora e, com ela, a população saberá o que tem sido feito por Campina e poderá avaliar melhor”. Seja como for, as faíscas das críticas de Falcão ao governador são uma ameaça ao ninho de palha dos tucanos.

Casa nova

Após ser rejeitado pelo PSD – leia-se por Manoel Ludgério – o deputado estadual Doda de Tião, ex-PMDB, foi abrigar-se à sombra do novo Partido Pátria Livre (PPL). Doda não podia continuar no PMDB, já que aderiu ao governador Ricardo Coutinho.

Mudou rápido

Em julho, Eugênio Falcão, presidente do PPL na Paraíba, havia declarado ao Diário Político que figurões não teriam vez na sigla. “O PPL não aceitará medalhões políticos. É um partido de esquerda, formado por frentes sindicais, movimentos estudantis e vários outros movimentos para construir um novo partido, uma nova ideologia”, garantiu.

Justificativa

Fala do deputado estadual Raniery Paulino, em contato com o Diário Político, justificando seu pedido de instalação da “CPI dos Livros”: “O principal beneficiário da denuncia é Ricardo Coutinho. A ALPB não pode ficar omissa e alheia a este fato”.

Bloqueio

O presidente do Sintab, Napoleão Maracajá, voltou a acusar a prefeitura de se apropriar das consignações descontadas dos contracheques dos servidores. Segundo Napoleão, o não repasse destas consignações aos bancos já ultrapassaria o total de R$ 250 mil, razão pela qual o sindicato garante que pode pedir o bloqueio de verbas federais do município.

História

O prefeito Veneziano Vital lembrou, durante o seminário na Fiep promovido pela UFCG, UEPB e Diocese, que o Nordeste tem sido historicamente tratado com preconceito.

É fato

Veneziano também lembrou que, no trato do Governo Federal com os estados do NE, alguns – como Ceará e Bahia – foram tratados privilegiadamente em relação aos demais.

Puxadinho

Em Brasília, o vereador Nelson Gomes Filho, presidente da Câmara Municipal, pediu ao deputado Romero Rodrigues apoio para a reforma das instalações do poder legislativo.

Menos espaço

Romero Rodrigues mostrou-se disposto a colaborar. A reforma será necessária por conta do aumento do número de vereadores, que passará de 16 para 23 na próxima legislatura.

Publicado no DB desta sexta, 18 do 11

Nenhum comentário

.