OPINIÃO: O PMDB MOSTRA FORÇA. MAIS: PEREIRA SURPREENDE. E: COM DESMANCHE NO PT DO B, LAELSON VAI PARA O PT

Não há como negar que o PMDB saiu fragilizado da eleição 2010 em Campina Grande. Mesmo na vitória, o partido, e mais especificamente o prefeito Veneziano Vital do Rêgo, amargou derrotas, a maior delas o desempenho do hoje senador Vitalzinho, ficando quase 24 mil votos atrás de um insosso Efraim Morais (DEM). É tolice negar, também, que o partido enfrenta dificuldades para encontrar um bom nome para a sucessão municipal.

Mas, ninguém brinque ou duvide da força do PMDB, nem tampouco da capacidade de arregimentação de forças de Veneziano e Vitalzinho. Eles sabem muito bem, e o prefeito confirmou sem rodeios ontem, que não adianta pensar em 2014 sem cuidar de conquistar terreno nas principais cidades do estado em 2012. E, para os planos futuros de Veneziano, não há cidade principal do que a sua. Ver seu indicado (ou, possivelmente, sua indicada) em Campina cair diante de um oponente tucano pode ser um resultado que comprometa definitivamente o projeto 2014.

O prefeito confirmou que o objetivo do partido é definir seu candidato ainda este ano. Na verdade, Veneziano já tem esse nome, já tem uma estratégia armada, e quer ver apenas o que as pesquisas internas revelarão nos próximos meses. Todo o investimento que vem sendo feito na divulgação da Secretaria de Saúde e na massificação do nome da secretária Tatiana Medeiros não é por acaso.

A preço de hoje, Tatiana ainda é uma opção carregada de fragilidades, mas, em casos assim, há uma aposta na disposição da massa do eleitorado de absorver rapidamente ações dirigidas a fortalecer um determinado nome. Pessoalmente, ela evita se assumir como “a favorita”, mas, bem ao seu estilo, afirmou ontem que, assim como não fugiu da raia ao ser convocada para a complicada Secretaria de Saúde, não tremerá caso seja escalada para encarar uma duríssima campanha no ano que vem. O PMDB não tem, hoje, a força que procura dar a entender. Mas, que ninguém se engane: tirá-lo do poder em Campina não será fácil.

Constrangimento

A deputada federal Nilda Gondim, que assumiu o diretório municipal do PMDB, nitidamente deixou – possivelmente sem querer – constrangido o ex-deputado federal Walter Brito Neto, que filiou-se ao partido e se apresenta como pré-candidato a prefeito.

Para vereador

Durante sua fala, dona Nilda citou Walter Neto como alguém que vai ajudar o partido a otimizar seu desempenho na eleição proporcional, revelando que o ex-deputado não está entre os cotados para disputar a prefeitura. O que, aliás, é “meio” óbvio. Os planos do PMDB para a Câmara Municipal em 2012 são de eleger pelo menos sete vereadores.

Já saiu

Conforme o Diário Político antecipou, o vereador Laelson Patrício não ficou no PT do B. Ele vai para o PT. Aliás, toda a direção do PT do B entregou os cargos ontem e pediu desfiliação, inclusive o presidente do diretório municipal, Alexandre de Didi.

Sobre o futuro

Segundo Alexandre, o motivo da ação conjunta teria sido a falta de atenção do deputado Genival Matias, presidente estadual, para com o diretório local. Com isso, o vereador Fernando Carvalho assumiu a direção do PT do B em Campina Grande. Mas, daqui para junho, muita coisa ainda pode acontecer no partido, que sofre fortes pressões “externas”.

Surpreendeu

Erramos a previsão e o vereador Antônio Pereira, contrariando todas as apostas, agora faz parte do PMDB. Pereira guardou sua decisão em segredo até para a própria sombra.

Mais vai e vem

O também vereador Alcides Cavalcanti deve trocar o PRP pelo PRTB. E o suplente em exercício Orlandino Farias já tratou de pedir sua desfiliação do PMDB. Ele vai para o PSC.

A definir

O vereador Tovar Correia Lima, secretário geral do PSDB em Campina Grande, disse ontem que não há, ainda, data certa para a filiação do empresário Diogo Cunha Lima.

Discrição

A indefinição seria justificada pelo fato de Diogo não querer estardalhaço em torno da sua chegada ao PSDB. Segundo Tovar, basta só o empresário assinar a ficha e entregar.

Nenhum comentário

.