LAELSON DESMENTE O PT. E MAIS: DESMANCHE NO PT DO B

O vereador Laelson Patrício não nega que deixou o PT do B e filiou-se ao PT porque seu antigo partido resolveu lançar o vereador Fernando Carvalho, ex-PMDB, candidato a prefeito. O que, no entender de Laelson, contraria a postura de aliado que o PT do B vinha mantendo desde 2008, quando compôs a coligação “Amor Sincero por Campina”, pela qual o prefeito Veneziano Vital do Rêgo foi reeleito.

A saída do vereador faz parte de um desmanche no PT do B, que ainda sofre pressões de todos os lados para reverter sua posição de ter candidato próprio. De João Pessoa a Brasília, grupos antagonistas entram na briga pelo apoio do partido que, embora pequeno, pode agregar tempo no guia eleitoral. E, ademais, se a candidatura de Carvalho for barrada, já será uma a menos – no entender de alguns caciques da política local. Além de Laelson, que era vice-presidente do diretório municipal da sigla, outros dirigentes também pediram desfiliação. Mário Cézar, ex-presidente municipal, foi o primeiro.

Na semana passada, saíram Alexandre de Didi, que presidia o diretório, Antônio Carlos (tesoureiro) e Leunivan Bezerra (secretário), todos ligados à prefeitura. Se foi o prefeito que disse o “pede pra sair” ou se foi coisa de iniciativa própria, não dá para saber. Até porque o próprio Fernando Carvalho mantém cargos no poder municipal e, até onde sabemos, nem falou em entregá-los nem foi instado a fazê-lo. Repitamos: até onde sabemos.

Com a decisão, Laelson confirmou que não tem pretensão de ser cacique, e se satisfaz como curumim. Revelou, no entanto, muito mais. Se deixou o PT do B por causa da candidatura própria do partido, o que teria ido fazer no PT, que jura que também terá candidato próprio, embora sequer conte com um nome razoável para a disputa? É mais uma forte evidência contra o suposto plano do PT. Afinal, o vereador não decidiu ingressar na sigla sem ouvir alguns “chefes” e Veneziano tem mais a perder com um desembarque do PT do seu quadro de aliados que com a saída do PT do B.

Primeiro

O Diário Político do dia 06 de agosto revelou que o deputado estadual Trocolli Júnior poderia trocar o PMDB pelo PSD. Trocolli até participou da convenção do PSD em Sapé, posando ao lado do vice-governador Rômulo Gouveia, presidente do partido.

A dúvida de Doda

O também deputado estadual e também peemedebista Doda de Tião andava igualmente cotado para filiar-se ao PSD. Mas, o ex-deputado Jacó Maciel, adversário de Doda e do seu irmão, Carlinhos de Tião, atual prefeito de Queimadas, saiu na frente e assinou a ficha do novo partido. Doda teria como segunda opção o PSB. Mas, arriscaria o mandato?

Vereador

Ex-deputado federal e ex-prefeito de Campina Grande (1977 a 1983), Enivaldo Ribeiro, presidente do PP estadual, estaria cogitando a possibilidade de ser candidato a vereador em 2012, para alavancar o desempenho do partido. É possível, mas improvável.

Até agora

O PP, que realizou seu encontro estadual em Campina na última segunda, não conseguiu formar um time razoável para a disputa proporcional. Alguns “figurões”, caso dos vereadores Nelson Gomes Filho, Antônio Pereira e Fernando Carvalho, até foram convidados, mas estes e outros nomes menos famosos declinaram dos convites do PP.

Haja “u”

Por e-mail, questionamos a assessoria do PP sobre uma eventual lista de pré-candidatos. Resposta: “Não dá pra informar pq são muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuitos” (sic).

Desembarque

O PC do B, que lançou a reitora Marlene Alves como pré-candidata a prefeita, vai debater, nos próximos dias, a possibilidade de entregar os cargos no governo Veneziano.

Sai mesmo?

O vereador Inácio Falcão, que já pensou em sair do PSDB, depois desistiu, pode estar prestes a deixar o partido, de olho não apenas em 2012, mas, principalmente, em 2014.

Estratégia

Pelo menos é isso que Falcão procura dar a entender. Ontem, ele teria passado a tarde reunido com dirigentes partidários. Para alguns tucanos, Inácio só quer “valorizar o passe”.

Publicado no Diário da Borborema de hoje

Nenhum comentário

.