SOBRE INGRATIDÃO E RESPEITO

O ex-governador Cássio Cunha Lima usou seu Twitter para lamentar não ter sido convidado para um jantar que seria (foi) oferecido ontem a José Serra. “Não recebi convite para o jantar. O ‘cabra’ sem mandato é assim mesmo”, registrou. Depois disso, houve uma polêmica danada sobre se o convite tinha sido feito ou não, e aliados e amigos do ex-governador cuidaram de apresentar seus votos de solidariedade, recaindo sobre o senador Cícero Lucena, presidente estadual do PSDB, o suposto não convite. Pois bem.

Desde jovem cercado pelo poder, áulicos e toda a sorte de salamaleques, fora do poder Cássio descobriu que poucos eram seus amigos. O que não mudou foi a impressionante fidelidade de boa parte do povão ao tucano, estendendo suas mãos humildes para fazê-lo senador com votação retumbante, até agora absurdamente ignorada pelo STF. No geral, Cássio continua recebendo afagos no meio político, mas, nada que se compare ao endeusamento que um mandato provoca. E estranha.

Quanto a Cícero, indiferentemente do tal episódio do jantar, tem se revelado um ingrato, porque só ocupa o pomposo cargo de senador pelo apoio que recebeu do ex-governador em 2006, quando ainda cozia no limbo da Confraria. Seu principal adversário, Ney Suassuna, então no PMDB, viu-se enredado na “Máfia das Sanguessugas” e não obteve a mesma solidariedade dos correligionários. Tivesse Cássio virado as costas, Cícero teria ficado sem mandato até o ano passado, quando no máximo poderia tentar uma vaga na Câmara Federal.

Isso é fato, como o é o racha sem conserto do PSDB. Mas, Cássio, na campanha passada, irritou-se quando, numa entrevista ao “Opinião”, da TV Borborema, o questionamos sobre o futuro do confuso ninho tucano. Como se ouvisse uma pergunta espantosamente idiota, respondeu apenas, aborrecido, que aquilo era assunto superado e abordá-lo seria perda de tempo. O tempo, porém, conta outra história e deixa a lição: aos “não poderosos” também se deve respeito.

Peemedebista

O vereador Cassiano Pascoal resolveu se filiar ao PMDB. “Agradeço o honroso convite do deputado Wellington Roberto para ir para o PR, e só não aceito porque não posso dizer não ao convite do prefeito Veneziano, um amigo que tanto me ajudou”, disse.

Convenção

O PSB e o PPS de Várzea, no Vale do Sabugi, realizam convenções hoje, o que deve lotar a pequena cidade de políticos do primeiro escalão estadual, como Manoel Ludgério, Adriano Galdino, Romero Rodrigues, Nonato Bandeira, Marenilson Batista e Edvaldo Rosas (que preside o PSB), além de vários prefeitos do Sertão paraibano.

Mais um

O recurso da coligação “Por Amor a Campina” à sentença de primeira instância que julgou improcedente a Aije Nº 052/2008 (Caso Maranata) contra o prefeito Veneziano Vital do Rêgo foi rejeitado por unanimidade no TER, sem apreciação do mérito.

O caso

A Ação, proposta pelo Ministério Público Eleitoral, apontava o suposto uso da Maranata para aliciamento de eleitores, e foi julgada improcedente pelo juiz da 16ª Zona, Francisco Antunes. O MPE resolveu não recorrer e, no entendimento do TRE, a coligação “Por Amor a Campina”, na condição de assistente simples, não pode recorrer.

Resumindo

A mais clara e objetiva definição do impedimento veio do juiz João Batista Barbosa. "Não havendo recurso do assistido, não há como agasalhar recurso do assistente", explicou.

Arrombamento

A sede do PT municipal, localizada na Rua João Moura, foi arrombada. Os ladrões teriam roubado computadores, objetos de escritório e até cerca de cinquenta cadeiras.

Frequência

É a segunda vez nos últimos cinco anos que a sede do PT é alvo de bandidos. O presidente do diretório municipal, Alexandre Almeida, providenciará o reforço na segurança.

Dica boa

O PT deveria seguir o exemplo do PSDB da Capital, que usa cães de guarda na proteção da sede. Só não pode comprar ração para os “vigias” com dinheiro do Fundo Partidário.

Nenhum comentário

.