MANOEL JÚNIOR x LUIZ COUTO. E MAIS: VOCÊS IMAGINAM MARCOS MARINHO E JOÃO DANTAS COMO ALIADOS?

O insucesso dos sonhos dourados do deputado federal peemedebista Manoel Júnior de assumir o Ministério do Turismo resultaram numa tremenda confusão entre ele e o também deputado federal Luiz Couto, do PT, que teria, segundo especulou parte da mídia nacional, feito chegar aos ouvidos presidenciais que Manoel tem o nome envolvido com grupos de extermínio. Acusação gravíssima, e o peemedebista garante que levará o padre, que é relator da CPI dos Grupos de Extermínio, às barras da justiça, para que apresente provas do seu envolvimento. Couto, por sua vez, não confirma que tenha “feito a caveira” do colega de parlamento.

O que há de verdade e de mentira em todo esse disse-me-disse, não compete a nós saber e nem há como meter a colher em tema tão grave, denúncias tão pesadas. Agora, no tocante aos aspectos políticos, para início de conversa ainda parece inverossímil que, em algum momento, Manoel Júnior tenha sido realmente cotado para ocupar a reluzente cadeira de ministro do Turismo.

Que a mídia nacional o apontou como “ministeriável”, tudo bem, mas só porque saiu na mídia nacional não quer dizer que seja verdade. A escolha de Gastão Vieira para o lugar de Pedro Novais, ambos do PMDB e do Maranhão, não foi coincidência, não ocorreu só porque tenha surgido o impedimento ao nome do paraibano. Aquele assento pertence à cota de José Sarney, logo, Manoel Júnior nunca teria tido chance alguma.

Por outro lado, se em algum instante Luiz Couto, na dúvida, chegou a mencionar a Dilma Rousseff as supostas acusações contra o deputado, eis outro fato grave. Se há indícios ou provas das acusações, que sejam encaminhadas à Justiça. Se não há, não se pode macular a imagem de ninguém, nem mesmo de uma figura política radical como Manoel Júnior, baseado apenas em suspeitas. E, por fim, Luiz Couto não é a palmatória do mundo, o dono da caixa de Pandora, a aterrorizar adversários que, ante uma acusação sua solta no ar – repita-se, se tiver sido o caso – traga desgraça sobre o acusado.

Torcida

O deputado federal Damião Feliciano, que sonha em ser escolhido hoje ministro do Tribunal de Contas da União, tem ao seu favor a torcida fervorosa do Major Fábio (DEM), que, na condição de primeiro suplente, herdaria a vaga do colega pedetista.

Mais torcida

O deputado tucano Romero Rodrigues também torce por Damião, afinal, com a assunção do Major Fábio, adversário do governador, à Câmara, o suplente da vez seria Edvaldo Rosas (PSB). Ou seja, sairia do caminho aquele que pode ser um empecilho ao apoio de Ricardo Coutinho, e surgiria uma razão a mais para uma parceria PSDB/PSB.

O nome

O ex-secretário municipal Alexandre Almeida, presidente do diretório do PT em Campina Grande, é considerado o favorito para ser o candidato do partido a prefeito nas eleições do ano que vem, caso vingue mesmo a tese de candidatura própria da legenda.

A esperança

A ala petista mais profundamente ligada ao prefeito Veneziano Vital do Rêgo ainda sonha com um apoio do PMDB a uma candidatura do PT, o que é bastante improvável. A esperança petista estaria baseada no fato de Alexandre Almeida ser muito próximo de Veneziano e, sobretudo, do senador Vitalzinho. Mas, amigos, amigos, política à parte.

Habitação

Atendendo a requerimento do vereador Antônio Pereira, a Câmara Municipal realizou ontem uma audiência pública para discutir a demora na entrega de casas em Campina.

Ano que vem

Segundo Pereira, são cerca de 1400 casas que há muito esperam conclusão na cidade. De acordo com a Cehap, as unidades devem estar prontas no segundo semestre de 2012.

De mudança

O ex-vereador Marcos Marinho deixou o PT do B, e avisa ter convites tanto para siglas ligadas ao prefeito Veneziano Vital do Rêgo quanto ao governador Ricardo Coutinho.

Pago para ver

Se Marinho for para a base de Ricardo, pode acontecer um fato curioso: ele e João Dantas, adversários em debates que estremeceram a Câmara, compondo a mesma bancada.

Nenhum comentário

.