MANOEL LUDGÉRIO DEFENDE O PACTO SOCIAL E DIZ QUE PROJETOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DEFINIRAM VALOR DO REPASSE

O secretário de estado do Desenvolvimento e Articulação Municipal, Manoel Ludgério, saiu em defesa dos critérios adotados para repasse às prefeituras de recursos do Pacto pelo Desenvolvimento Social. No último dia 30, em solenidade na Fiep, o governador Ricardo Coutinho assinou os contratos do Pacto com 43 prefeituras da região de Campina Grande. O único prefeito ausente foi Veneziano Vital do Rêgo e o valor repassado à cidade, apenas R$ 165 mil, recebeu críticas de aliados e auxiliares do peemedebista.

Houve mesmo quem classificasse o valor como uma “esmola”, sobretudo em comparação ao total destinado a cidades menores, caso, por exemplo, de Esperança (R$ 490 mil), Boqueirão (R$ 472 mil), Pocinhos (R$ 745 mil) e Alagoa Grande (R$ 1,6 milhão). O Diário Político questionou Ludgério sobre a soma tão diminuta que coube a Campina. O secretário afirmou que, dos dois projetos enviados pelo executivo ao Pacto, apenas um, o de menor valor, atendia aos requisitos técnicos pré-estabelecidos.

“A Prefeitura enviou duas propostas para o Pacto. A primeira, de R$ 1,1 milhão, para reformar dez escolas. O plano foi enviado sem nenhuma especificação técnica, como, por exemplo, quais escolas e que serviços de reformas seriam realizados em cada uma, planilha orçamentária, cálculos e plantas, que são documentos necessários para que a proposta fosse corretamente avaliada pela equipe técnica”, afirmou.

Ainda conforme o secretário, as falhas no projeto da área de educação não se apresentaram no projeto da área de saúde. E, segundo ele, os R$ 165 mil repassados não foram um valor definido aleatoriamente, mas sim o que foi pedido pela prefeitura no projeto. “A outra proposta, com valor solicitado de R$ 165 mil, era para aquisição de equipamentos para um centro de referência do idoso. Este, sim, foi enviado com todas as especificações técnicas e, por isso, selecionado pela comissão técnica”, disse. Conforme Manoel Ludgério, nenhum dos dois documentos apresentou a assinatura do prefeito Veneziano.

Eu, não

O vereador Tovar Correia Lima descartou ontem que sequer tenha a intenção de postular uma candidatura majoritária nas próximas eleições. Segundo Tovar, começou a circular entre amigos a informação de que ele pretendia ser candidato a vice-prefeito.

Todos querem

“Uma amiga me disse: ‘Que pena que você não vai ser candidato a vereador para ser vice’. Fiquei surpreso. Creio que ainda não é hora de pensar em uma postulação majoritária. Serei novamente candidato a vereador”, comentou Tovar. Ocorre que, como todo mundo se diz pré-candidato a prefeito, até se duvida quando alguém diz o contrário.

Tranquilidade

O prefeito Veneziano Vital do Rêgo procura se mostrar tranqüilo em relação ao julgamento, que deve ocorrer hoje, do seu recurso no Tribunal Regional Eleitoral contra a cassação em primeira instância do seu mandato, ocorrida em abril do ano passado.

Programação

Ontem, a assessoria do prefeito procurou confirmar o clima de tranqüilidade, anunciando que ele participará dos desfiles do sete de setembro. Também ontem, esteve em Campina Grande o governador Ricardo Coutinho para assinar financiamentos do Programa Empreender-PB e, como de regra, governador e prefeito não ficaram sob o mesmo teto.

Festança

O ex-governador José Maranhão, seguindo o exemplo do seu novo amigo, o senador tucano Cícero Lucena, vai comemorar com festa de arromba seu aniversário de 78 anos.

Intenções

O natalício de Maranhão será festejado em um clube da Capital. Para o secretário de comunicação do Estado, Nonato Bandeira, os aniversários estariam virando comícios.

Indecisão

O vereador Fernando Carvalho há tempos planeja deixar o PMDB. Mas, recentemente, se mostrou resolvido a ficar. Agora, desistiu de desistir e está com um pé fora da sigla.

Encontro

O PSC agendou para o próximo dia 17 seu primeiro encontro regional. O evento terá como tema principal a pré-candidatura do deputado estadual Guilherme Almeida a prefeito.

Nenhum comentário

.