EMPOLGADO, TOINHO DO SOPÃO PODERÁ ARRISCAR MANDATO DEIXANDO O PTN PARA SER CANDIDATO A PREFEITO DA CAPITAL


Eleito com a maior votação de todos os tempos para a Assembleia Legislativa, o deputado estadual Antônio Petrônio de Souza, o Toinho do Sopão, anda tão empolgado com a ideia de ser candidato a prefeito da Capital que está disposto até a arriscar o mandato, trocando de partido e sujeitando-se a um processo por infidelidade por parte da sua atual sigla, o PTN.

O destino do falante parlamentar pode ser o PMN, partido que trabalha para construir candidaturas próprias em João Pessoa e Campina Grande, e também já convidou para o posto outra intrépida figura, o suplente de deputado federal Major Fábio, que é do DEM. Entre os dois, o mais próximo do PMN seria Toinho.

O Diário Político recebeu uma foto em que o deputado estadual aparece em frente a um prédio, conversando animadamente com o presidente estadual do PT, Rodrigo Soares, o deputado estadual petista Luciano Cartaxo (“coincidentemente” outro pré-candidato a prefeito da Capital) e o presidente do diretório pessoense do PMN, Alysson Campelo.

O local da conversa seria, supostamente, a calçada em frente ao apartamento da jornalista Lídia Moura, que comanda o PMN estadual. E o encontro teria ocorrido há cerca de um mês, bem antes, portanto, do exaltado pronunciamento da última terça-feira, no qual, entre inúmeras outras declarações de auto louvor, Toinho, após tecer críticas ao prefeito de João Pessoa, afirmou que não se importaria em entregar os cargos que ocupa no governo estadual, num gesto de aparente rompimento com Ricardo Coutinho.

Aliás, quem ouve um dos atabalhoados discursos de Toinho do Sopão fica com a impressão de que se trata da fala de um vereador pessoense, e não de um deputado estadual. Ainda sob o efeito delirante de uma eleição surpreendente, o noviço parlamentar sonha acordado com uma nova vitória, na disputa do ano que vem, tanto que já declarou a amigos que, de fato, não teme perder o mandato legislativo caso tenha que trocar de partido. Será que não teme mesmo? Se for assim, pode acabar perdendo a besta e o frete.

Sob o tapete

Mantendo a fidelidade ao Governo Federal, os peemedebistas paraibanos Vital do Rêgo Filho e Wilson Santiago (foto) não assinaram o documento para abertura da CPI dos Transportes no Senado. O Palácio do Planalto usou o rolo compressor para enterrar a CPI.

Somente um

O único paraibano a assinar o pedido de abertura da CPI para investigar as denúncias cabeludas de irregularidades no Ministério dos Transportes foi o tucano Cícero Lucena, que é oposição ao governo Dilma Rousseff. Por falar em Cícero, o senador completa hoje 54 anos, com direito a uma festa de arromba digna de um pré-candidato a prefeito.

Adiado

Depois duas faltas de energia elétrica, tumultos nas galerias, trocas de farpas e uma conversa no misterioso Salão Azul, o líder do prefeito na Câmara Municipal, vereador Rodolfo Rodrigues pediu o cancelamento da votação do projeto de venda do DTO.

Boicote

Cassiano Pascoal (PSL) mostrou-se revoltado com o adiamento da votação, e acusou a oposição de boicote político. “A ação contra o Hospital é unicamente política. Faço questão de nominar os vereadores que são contra o Hospital da Criança: João Dantas, Tovar, Ivonete e Jóia Germano. Inácio Falcão e Nelson Gomes não vieram à sessão”, disse.

Foram eles

Mas, para Tovar (PSDB), foi a própria bancada governista a responsável pelo adiamento. “A bancada de situação não está se entendendo. A situação retirou o projeto”, afirmou.

Desnecessário

Para os vereadores de oposição, não é preciso vender o DTO para adquirir a Mater Dei: a compra poderia ser feita com parte dos R$ 10 milhões da venda da folha de servidores.

Socorro

Antevendo uma derrota em plenário, João Dantas (PTN) pediu que o Iphaep impeça o leilão do prédio do DTO, que, para o vereador, estaria instalado em uma área tombada.

Folhetim

O certo é que a novela prossegue. Para a base governista, a oposição faz jogo político, enquanto a oposição lança dúvidas sobre a pressa do executivo em leiloar o prédio do DTO.

Nenhum comentário

.