TATIANA NA LINHA DE FRENTE


Quem tem prestado atenção, certamente já reparou que, nos últimos meses, sobretudo nas últimas semanas, a secretária de Saúde do município, Tatiana Medeiros, tornou-se uma espécie de super secretária do prefeito Veneziano Vital do Rêgo. Figura da estrita confiança do chefe do executivo municipal, a médica, que coordenava o Samu, aceitou pegar a batata quente que é comandar uma Secretaria de Saúde – ainda mais numa cidade como Campina Grande, para onde converge gente de dezenas de outros municípios (e até de estados vizinhos), em busca de atendimento.

O aumento da exposição voluntária de Tatiana na imprensa e a adoção da saúde como uma das principais bandeiras da prefeitura na mídia teria (tem) tudo a ver com o projeto de fazer da secretária a candidata de Veneziano na sucessão municipal do ano que vem. Para isso, Tatiana Medeiros terá que trocar, nos próximos dias, o pequeno PSL, que é presidido na cidade por seu filho, o vereador Cassiano Pascoal, e filiar-se ao PMDB.

Uma vez na sigla e intensificadas as ações de divulgação do seu trabalho, ela terá seu nome avaliado em pesquisas internas, que devem, ainda, analisar o desempenho do ex-secretário municipal e atual presidente do PT campinense, Alexandre Almeida, e dos deputados estaduais Guilherme Almeida (PSC) e Daniella Ribeiro (PP). Com essas pesquisas em mãos, o prefeito Veneziano e seu irmão, o senador Vital do Rêgo Filho, definirão o candidato a prefeito. A preço de hoje, a composição favorita teria Tatiana encabeçando a chapa e Alexandre como vice.

Seria a secretária de Saúde uma candidata viável? É justamente isso que as pesquisas deverão responder. Certamente, não é um nome de peso para uma disputa majoritária, mas a expectativa do seu grupo deve residir no fato de que essa é uma eleição que será disputada entre estrelas políticas de segunda e, principalmente, terceira grandeza. Em pouco mais de dois meses (o prazo, lembrando, é 07 de outubro), saberemos se Tatiana Medeiros se filiará mesmo ao PMDB.

Não gostou

Irritado com críticas do vereador João Dantas à atenção básica à saúde em Campina, o também vereador Fernando Carvalho usou o Twitter para rebater, e foi duro. “Amigo, o desejo de ferir não o faz apenas desleal, também o faz injusto”, escreveu Carvalho.

Inapropriado

Em resposta, João Dantas condenou o tom da fala de Fernando Carvalho. “O que é isso, companheiro?! Certos adjetivos não se colocam bem quando nos dirigimos aos colegas. Vamos com calma”, disse, também no Twitter. “Deslealdade é você ser eleito por uma coligação partidária e já no segundo turno, trair e/ou se vender”, escreveu João Dantas.

Mistério

O secretário de Comunicação do Estado, jornalista Nonato Bandeira (foto), questionou ontem qual seria a intenção do ex-governador José Maranhão ao mandar avaliar o terreno da Acadepol, conforme documento apresentado pelo deputado Adriano Galdino.

Cara de pau

“Tudo era feito na surdina. Estavam num processo silencioso, ao ponto de avaliar o terreno em R$ 55 o metro quadrado. É impressionante a cara de pau de algumas pessoas, que agora estão se escondendo, que defendiam que a propriedade valia R$ 70 milhões, quando o governo Maranhão avaliou em apenas R$ 4,7 milhões”, disse Nonato.

Bem-vindo

O ex-vereador Ivam Freire, em contato por telefone com o Diário Político, disse que o PC do B está de portas abertas caso o vereador Antônio Pereira resolva filiar-se ao partido.

Posição

Ivam, que hoje vive no Pará, mas segue de perto as ações do PC do B, disse que, apesar da eventual contrariedade de algum correligionário, o partido reafirma o convite a Pereira.

Soldado

Ivam Freire confirmou que será candidato a vereador em CG, mas somente para servir ao partido. “Não queria, mas devo colaborar com o PC do B e, por isso, estarei na disputa”.

Nada de vice

O ex-vereador ainda garantiu que a candidatura da reitora Marlene Alves a prefeita é pra valer. “Marlene não está procurando vaga de vice na chapa de ninguém”, afirmou Ivam.

Nenhum comentário

.