'CONTRADIÇÃO DE WALTER NETO'. E MAIS: EM REUNIÃO NA CASA DE GUILHERME ALMEIDA, VENEZIANO RECLAMA DE SECRETÁRIOS

O ex-deputado federal Walter Brito Neto há tempos anda numa maré de azar. Após saltar, em 2007, aos 25 anos, do simples cargo de vereador para a importante posição de deputado federal, depois da renúncia do titular, Ronaldo Cunha Lima, Walter Neto parecia no caminho do sucesso político, mas, um ano depois, acossado pela então nova lei da fidelidade partidária – trocou o DEM pelo PRB –, tornou-se o primeiro e até hoje único deputado federal a perder o mandato por ser um “infiel”.

Ele acredita que sua cassação deveu-se a uma perseguição engendrada pelo presidente do DEM na Paraíba, Efraim Morais. Agora, ocupando a presidência do diretório do PRB em Campina Grande, o ex-deputado começava a defender a tese de uma candidatura própria do partido, disponibilizando-se ele mesmo a ser o candidato. Até ser informado pelo presidente estadual do partido, Jutay Meneses, de não continuaria à frente da legenda em Campina. “Ora, logo eu que me sacrifiquei tanto pelo PRB”, lamenta Walter Neto.

Ele, porém, não pode se dizer tão surpreso assim com o ocorrido, afinal, desde quando o PRB está num nível mais elevado que os demais partidos do mesmo porte? Na verdade, o Partido Republicano Brasileiro é um braço da controversa Igreja Universal do Reino de Deus. Na Paraíba, está sob o comando de um pastor e político profissional, Jutay Meneses, que, seguindo o xadrez da Igreja Universal, já exerceu seu “ministério” religioso e político também no vizinho estado do Rio Grande do Norte, antes de ser enviado à Paraíba.

Por outro lado, Walter Neto notabilizou-se por fazer parte da “Bancada Evangélica” no Congresso Nacional, advogando firmemente posições ortodoxas. E, mesmo assim, aceitou associar-se a um partido profundamente ligado a uma denominação religiosa cercada de controvérsias e que defende, inclusive, teses que o ex-deputado combate veementemente, como o aborto. Para alguém tão firme na defesa dos valores em que acredita, essa convivência soa, inevitavelmente, como contraditória.

Conversas

O prefeito Veneziano Vital do Rêgo participou, na semana passada, de uma reunião na casa do deputado estadual Guilherme Almeida (foto), do PSC, pré-candidato a prefeito de Campina Grande. Cerca de trinta pessoas, de diversos partidos, estiveram na reunião.

Indefinição

Conforme contatos que estiveram no encontro, Veneziano afirmou que, apesar de toda a pressão para que defina e publicize sua decisão, não poderia antecipar sua posição em relação às eleições do ano que vem. O prefeito afirmou, ainda, que Guilherme Almeida sabe o porquê. O deputado, por sua vez, mostrou-se seguro quanto a sua pré-candidatura.

Reclamação

Ainda durante o encontro, o prefeito Veneziano teria reclamado que seus auxiliares pouco defendem seu governo das críticas, poucos deles iriam à mídia enfrentar as cobranças.

Mea culpa

Após a queixa de Veneziano sobre seus secretários, o deputado Guilherme Almeida reconheceu que, nesse quesito, também não é muito atuante, e prometeu se empenhar mais.

Nenhum comentário

.