PSD DE OLHO EM MARLENE ALVES - E MAIS: CANDIDATURA A PREFEITA DA REITORA É VIÁVEL?


O PC do B deverá ter dificuldades para manter em seus quadros a reitora da UEPB, Marlene Alves, o que, por conseqüência, põe em risco o plano do partido de lançar uma candidata forte à prefeitura de Campina Grande em 2012. Acontece que, pela relevância do nome de Marlene, legendas maiores já começam a assediá-la.

No final de semana, o secretário estadual de Desenvolvimento e Articulação Municipal, Manoel Ludgério, avisou que quer a reitora nos quadros do seu novo partido, o PSD. “Pessoalmente, vou convidá-la. Marlene tem história e eleva um partido que pretende ser grande com qualidade. Política e plural, sua luta é uma marca importante. Partido que pretende ser qualitativo tem Marlene nas fileiras”, afirmou o secretário. “Quem com maestria, como você, administra nossa UEPB, está credenciada para outras missões”, disse ainda Ludgério, dirigindo-se diretamente à reitora, pelo Twitter. “Obrigada Manoel, esta é uma estrada que requer muito cuidado”, respondeu Marlene Alves.

À primeira vista, uma candidatura da reitora a prefeita pode parecer inviável. Apesar do seu histórico, Marlene não é uma política profissional e, portanto, é um nome desconhecido da massa do eleitorado. Esse óbice, porém, não é incontornável. Em um partido forte, com apoios de peso e um trabalho de marketing bem feito, que destaque seu currículo, Marlene pode tornar-se uma candidatura viável, para brigar pela ponta com outros candidatos.

Até porque as eleições de 2012 em Campina não terão nenhum astro das urnas, nenhum nome de grande popularidade e, nesse cenário, uma postulante com o perfil da reitora pode tornar-se a sensação. Ademais, por ser desconhecida para alguns segmentos mais populares, Marlene ainda teria o benefício de uma baixa rejeição. Manoel Ludgério sabe disso. Todos os caciques partidários sabem disso. Se Marlene Alves pode vencer as próximas eleições, é impossível dizer. Mas, na conjuntura de 2012, no partido certo e com o trabalho certo, ela, fatalmente, seria uma candidata forte.

De fora

Garantindo não ter pretensões pessoais para 2012, o ex-governador José Maranhão deixa transparecer que quer dar a vez aos outros e somente as eleições gerais de 2014 estão na sua mira. Hipoteticamente, Maranhão deve ser candidato a senador em 2014.

Alto risco

A verdade é que as disputas do ano que vem deixam Maranhão num dilema. Pelo seu tamanho político, só haveria sentido para o ex-governador em concorrer à prefeitura de uma cidade como Campina Grande ou João Pessoa. Mas, em Campina, não arriscaria, e na Capital corre sério risco de sofrer uma derrota. O melhor, talvez, seja ficar de fora

Nenhum comentário

.