POESIA: UMA NOITE DE SÃO JOÃO

Quando eu era menino
O milho era mais doce
Havia balão no céu
Fogueira, que hoje apagou-se
Forró do bom, alegria
Que hoje quase acabou-se

Agora, nada mais pode
Tudo agora é perigoso
Não tem mais balão no céu
Virou perigo assombroso
A tradição da fogueira
Hoje é um risco horroroso

E eu fico aqui perguntando:
O que foi que aconteceu?
Fui eu que perdi a graça?
Ou a graça que se perdeu?
Alguém mais tem saudade?
Ou serei apenas eu?

Queria o São João matuto
O forró de seu Gonzagão
Fogueira ardendo nos olhos
Quadrilha na rua, balão
Nossa matuta alegria
Nossa cultura; Eu queria
Uma noite de São João!

Lenildo Ferreira

2 comentários

Fatima Mota disse...

Gostei muito. Bem construída e poeticamente contagiante, levou-me de volta ao São João da minha infância.

Poeme-se disse...

Olá,

Sou editor do site www.poemese.com e estou procurando novas iniciativas na área da literatura poética. Gostaria de contar com você na busca por pautas e eventos poéticos em sua cidade. Se possível nos envie por e-mail suas sugestões (contato@poemese.com), por twitter (@poemese) ou pelo Facebook (http://www.facebook.com/fbpoemese)
Paz e Utopia
Gledson Vinícius

.