OPINIÃO: ASSESSORIA DE ATAQUE

Mesmo quando é incisivo nas críticas e debates com os adversários, o vereador Fernando Carvalho (PMDB), um dos mais atuantes da Câmara Municipal de Campina Grande, é cordato, equilibrado e respeitoso. Político com grande respaldo no segmento evangélico, do qual se apresenta como um representante, não é dado a excessos ou agressões verbais.

Mesmo assim, estranhamente, o vereador no mínimo tolera uma postura completamente oposta de um sobrinho que atua como seu assessor direto na Câmara Municipal e, nos últimos meses, tem se colocado como uma espécie de cão de guarda do tio vereador, pronto a atacar virulentamente quem ouse não seguir a cartilha do seu chefe ou do grupo político ao qual ele pertence. Até aliados do peemedebista se sentem desconfortáveis com a agressividade do assessor, que, deixando de lado a postura sóbria e discreta que se espera desses profissionais, age como se fosse ele o vereador, ao ponto de até bater de frente com outros parlamentares e políticos em geral.

Uma das vítimas foi o Secretário Executivo dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente do Estado, Fábio Medeiros, presidente do PTN paraibano, que reclamou, no Twitter, que o vereador estaria escalando assessores para atacá-lo e foi repelido com uma agressividade ainda maior pelo sobrinho de Fernando Carvalho. Fábio, que também é evangélico e pertence à mesma igreja do vereador, seria visto como um potencial adversário para 2012.

Ontem, foi a vez do tucano Tovar Correia Lima ser atacado. Após trocar farpas com Carvalho por conta da questão do aumento do número de vereadores em Campina e por propor um ponto eletrônico para controle da freqüência dos vereadores, Tovar irritou-se com um ataque do assessor no Twitter. “O cara não vai à CMCG, mas vai até a imprensa tentar mostrar que trabalha. Vereador, crie vergonha na cara. Seja homem”, escreveu o rapaz. Mesmo sem ter citado nomes, é de conhecimento público que a ofensa, em termos baixos, foi dirigida a Tovar.

Argumento

O sobrinho do vereador Fernando Carvalho costuma alegar que suas críticas (ataques) se dão enquanto cidadão, e não como assessor do parlamentar. Uma separação que, na prática, é evidentemente impossível de se fazer. É como separar corpo e alma.

Estímulo

Irritado com a postura do assessor de Carvalho, um vereador disse à coluna que o peemedebista não apenas seria conivente com esse comportamento como até o estimularia. Assim, atacaria adversários sem desgastar sua própria imagem. Amanhã, o Diário Político trará as respostas e considerações de Fernando Carvalho sobre o assunto.

Publicado no Diário da Borborema de hoje

Um comentário

Anônimo disse...

Todo mundo sabe q o fernando coloca pessoas para fazer seu jogo sujo, ou seja, usa alguns assessores para atacar outras pessoas no sentido de expor essas pessoas a opiniao publica, enquanto que ele é tido como homem santo e integro. Pergunte no meio evangelico o q essas pessoas falam do fernando, todos comentam q ele nao é essa imagem q tenta passar, esse sobrinho dele e mais meia duzia de assessores sao a imagem e semelhança de carvalho.

.