MARINHO PROCURA GENIVAL


O comportamento do deputado estadual Genival Matias, presidente do PT do B paraibano, há tempos incomoda seus correligionários. E nem mesmo a instabilidade do seu mandato, que pode ser perdido em breve, serve mais de justificativa para aplacar a indignação dos críticos. Tendo conquistado 15.255 votos nas eleições de outubro, Genival conseguiu a última vaga para a Assembleia Legislativa, numa coligação formada ainda pelo PC do B, PMN, PHS e PRTB – montada, por sinal, para elegê-lo.

Acontece que, caso o STF libere o registro do tucano Dinaldo Wanderley, barrado por problemas com contas prestadas ao TCU, o deputado do PT do B perde o mandato definitivamente, sem nem ao menos ficar na suplência, já que, sendo validados os votos de Dinaldo, a coligação de Genival deixa de atingir o Quociente Eleitoral. E tem muita gente dentro do PT do B torcendo por isso. O motivo? O deputado teria prometido mundos e fundos aos correligionários e, depois de eleito, sumido no oco do mundo.

No início de dezembro, dois meses antes da posse na Assembleia, o Diário Político já registrava o “sumiço” de Genival, segundo reclamação de membros do PT do B campinense. Ontem, o jornalista e ex-vereador Marcos Marinho, que é filiado ao partido, mostrou ter perdido a paciência com seu presidente. Comentando a grande profusão de candidatos a prefeito, Marinho se disse disposto a também entrar na disputa.

“Se Carvalho quer, se Daniela se oferece, se Fechine diz que tem grana para tal, se Guilherme não abre nem para o trem, se até a reitora Marlene Alves sonha com isso, declaro-me também candidato a prefeito de Campina Grande”, afirmou, para, em seguida, completar. “Só tem um único problema: Encontrar Genival Matias, o deputado que ajudei a eleger, presidente da minha legenda”. E, bem ao seu estilo, Marcos Marinho disse o que pensa de Genival Matias: “Na difícil vida da política, duvido alguém encontrar cara de pau de maior marca. Eu, mesmo calejado, fui levado na onda”.

Nenhum comentário

.