OPINIÃO: IGUALZINHO




O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, esteve em Campina Grande no último sábado para o lançamento do novo Partido Social Democrático, o PSD. Durante o evento, ocorrido no auditório do Sesc Centro, Kassab, ladeado pelo vice-governador do Estado, Rômulo Gouveia (que presidirá a legenda na Paraíba), e o secretário estadual da Articulação Municipal, Manoel Ludgério, procurou transmitir segurança àqueles que planejam migrar para a sigla. O prefeito paulistano desqualificou as ameaças de alguns chefes partidários, que garantem que pedirão na justiça os mandatos de quem aderir ao PSD.
Segundo Gilberto Kassab, a legislação permite a mudança, sem prejuízo algum daqueles que ingressam como fundadores de um novo partido. O próprio prefeito, no entanto, tem sentido na pele a dureza da reação à criação da sigla. Entre seus antigos correligionários, no Democratas, ele, em geral, é tido em baixa conta, sendo classificado como um grande traidor. Não dava mesmo para se esperar outro tipo de reação.

Que o PSD nada tem de ideológico, é evidente. A questão, porém, vem a ser: atualmente, qual é o partido movido por alguma ideologia? Excetuando-se, talvez, os nanicos, como PCB, PCO e PSTU, a resposta é fácil de se dar: nenhum. O partido que está sendo fundado pelo prefeito de São Paulo não é melhor ou pior que nenhum outro que existe ou venha a existir. No nosso sofrido sistema democrático, as agremiações partidárias figuram como um mal necessário, entes vazios de conceitos ou desideratos – a não ser as aspirações pessoais daqueles que os compõe.

A rudeza com que o PSD tem sido repelido se dá tão somente porque sua fundação é um furo na cerca que prende políticos que anseiam deixar seus partidos, ferindo a vocação senhorial dos caciques que agora vêem, perplexos, filiados que estavam sob garrote irem embora, livres e contentes garrotearem-se num novo cercado. Qualquer promessa do PSD de se revelar diferente é uma falsidade. Qualquer discurso ideológico ou moral contra o PSD é uma hipocrisia.

Publicado no Diário Político, do Diário da Borborema de hoje

Nenhum comentário

.