OPINIÃO: BAIXARIA EM PIANCÓ

A constatação lamentável é óbvia. A política continua sendo exercida, por muitos dos seus agentes, como uma prática asquerosa, um jogo sórdido em que vale tudo para conquistar as mentes e corações dos eleitores. Exemplo dessa mentalidade nefasta acontece no município de Piancó, onde a rivalidade entre a prefeita Flávia Galdino (PP) e o vereador Pádua Leite (PT) descambou para a total baixaria, com acusações sendo trocadas a esmo, uma após outra, para espanto e vergonha do povo da cidade.

No mais recente caso, Pádua Leite lançou dúvidas sobre a veracidade de um acidente sofrido pela prefeita no mês passado. Em seu portal, o parlamentar acusou Flávia de publicar, em um site da cidade, uma falsa imagem do veículo danificado no acidente. E o fez usando das ponderações mais grosseiras. “Resolvi investigar. (...) Porque acredito que os céus não protegem aqueles que assaltam os cofres públicos, humilham servidores, traem aliados políticos, cometem adultério e escanteiam e maltratam genitores”, publicou Pádua.

Em resposta às acusações, o portal que publicou a foto questionada explicou que fez uso de uma imagem ilustrativa. No mesmo site, Flávia Galdino divulgou o artigo “Quem disso usa, disso cuida”, no qual relata detalhes do acidente e, sem citar o nome do vereador, dá o troco nas acusações: “Isso é diferente de roubar um carro, e o mesmo ser utilizado durante a eleição do ano passado”. A prefeita ainda insinua que o petista teria aplicado um golpe em uma seguradora, forjando ter tido o carro roubado.

“A seguradora procura e está próxima do golpe do desmanche de carro de falso roubo, e o jornalista que publicou essa matéria, pasmem, foi assassinado”, escreveu. Em outra matéria, ela repete a denúncia de que um veículo roubado teria sido usado na campanha de Pádua, mas, desta vez, dá nomes aos bois, envolvendo os irmãos do vereador, por ela chamados de “irmãos Metralha”. A coisa está fedendo em Piancó e, pelo nível das denúncias, ou o vereador ou a prefeita tem muitas contas a acertar com a justiça.

Nenhum comentário

.