O PROBLEMA MÉDICO

Na Paraíba, as diversas esferas do poder público vez outra se batem em trocas de farpas sobre a qualidade da saúde. No meio desse fogo cruzado sem nexo, a opinião do povo, maior autoridade para auferir o quadro, é relegada ao total desprezo. Acontece que as pessoas que dependem da saúde pública não querem saber se o atendimento que recebem é de responsabilidade do município, do estado ou da União. Isso é irrelevante. A população espera mesmo é ser atendida, sem ter que padecer em filas enormes, sem precisar esperar dias e meses por uma simples consulta, sem ter ignorada sua dor, desprezado seu sofrimento.

É exatamente por isso que, para o povo em geral, alheio às querelas políticas e vivendo a realidade nua e crua, a saúde pública brasileira é ruim, miseravelmente ruim. De todos os problemas que o setor enfrenta, de todas as deficiências que precisa corrigir, existe um ponto que, via de regra, não aparece nos argumentos dos especialistas ou dos secretários de saúde: o mau serviço médico.

Cercados por uma redoma histórica, os médicos estão na ponta da lista de reclamação dos pacientes. Esse fato, observado inclusive na rede privada, é alarmante no SUS. Chegam ao trabalho à hora que querem, vão embora quando querem, faltam com freqüência. E, o pior, tratam o paciente com indiferença, frieza, não raro com crueldade, comumente com má educação.

Há, claro, exceções, mas, neste caso, a exceção é minoria. E tudo isso acontece sem que medidas efetivas de correção sejam adotadas. Gente sofre com atendimentos cruéis, gente morre por conta de negligência, e nada acontece. É incomum a punição exemplar a um médico. Sob a mística tradicional da profissão, protegidos pela grande escassez de profissionais no mercado, que supervaloriza ainda mais a categoria, não são poucos os médicos que se vêem acima do bem e do mal, configurando-se no maior problema da saúde pública do Brasil, porque não há recurso que resolva quando o ser humano torna o atendimento desumano.

Publicado no Diário Político (no Diário da Borborema) desta quarta

Nenhum comentário

.