NOTA DE ESCLARECIMENTO

Venho esclarecer a todos, no tocante ao meu desligamento da Rádio Cariri AM, que não partiu de mim a divulgação da carta enviada ao comando da emissora, a colegas da empresa e pessoas de uma forma ou de outra a ela ligadas. Ao público, pretendia divulgar um texto mais condensado esclarecendo minha saída.

No entanto, após tomar conhecimento de certo palavratório distorcendo os fatos e atacando a mim e ao competente e correto jornalista Josusmar Barbosa, achei por bem dizer a quem “vazou” a carta (seja quem for) que o agradeço.

O desligamento se deu por conta das profundas ingerências sobre nossa atuação na empresa, prática que já atinge outros colegas no grupo, mas que jamais haviam chegado a mim. Pelo menos até recentemente. Não há como exercer um trabalho profissional onde todo mundo manda, e todo mundo acha que pode fazer o trabalho dos jornalistas, simplesmente pelo sobrenome que carregam.

Como não somos estrelas (ou grifes, como dizem lá), buscamos trabalhar além do que nos era de dever. Jamais nos limitamos ao trabalho na bancada. Buscamos ir além disso, tentando levar a própria empresa a uma mentalidade moderna e a assumir perspectivas ousadas. Projetamos levar a rádio à liderança na cidade no prazo de um ano.

Como resposta, passamos a perceber os primeiros e alvissareiros resultados. No entanto, por alguma razão, nosso trabalho passou a ser contrariado, estorvado e desqualificado dentro da própria empresa.

E isso partia de pessoa despreparada para tal avaliação, mas que, por ligações familiares com os proprietários da emissora e por jamais ser contrariada em suas posições, julgava-se plenamente capaz de qualificar e desqualificar profissionais.

O ambiente já se tornava insustentável, agravado por uma abrupta mudança de posição, radicalizando a relação da emissora com o governo, sem que nada disso fosse tratado com a equipe. A gota d’água, como já se sabe, aconteceu no sábado passado, quando fomos chamados à ordem publicamente, no estacionamento da empresa, por termos levado o secretário Fábio Maia ao programa Fogo Cruzado.

Todos entendemos as restrições políticas das empresas, mas, pessoalmente, não aceito radicalizar contra ou a favor de grupo A ou B. Se essa posição radical fosse contra, por exemplo, a prefeitura de Campina Grande, minha reação seria a mesma. No dia em que resolver defender alguma bandeira partidária, se isso acontecer, será por escolha própria, e não por ordem de um patrão.

Não sou cassista, maranhista, ricardista, venezianista ou ribeirista. Mas sim apenas e tão somente jornalista.

Desejo profundamente que esse assunto possa encerrar-se aqui, e que possamos todos seguir em paz nosso caminho. À Cariri só tenho votos de sucesso.

Agradeço profundamente as inúmeras mensagens, ligações e e-mails de apoio e solidariedade que recebemos. A vida segue e muitos projetos se apresentam pelo caminho. Continuamos a “nos encontrar” na coluna Diário Político, do Diário da Borborema, e na TV Borborema. Mais uma vez, obrigado!

Lenildo Ferreira
jornalista

5 comentários

Anônimo disse...

perdeu a radio cariri pois o Lenildo é um profissional de enorme valia para a radiofonia. tem um comentario suscinto e gostoso de ouvir,normalamente acontece com meios de comunicacao geridos por quem nao é jornalista. Enfim, ao ilustre Lenildo, votos de que continue assim. Firme nas suas posições, o admiro por isso. abraços. LUIS ROCHA FILHO, Oficial de Justiça em Campina Grande.

Anônimo disse...

É aquela história Lenildo, depois que STF enterrou o nosso diploma profissional um bando de "pitaqueiros picaretas" invadiu o mercado.
E os "sobrinhos" dos donos das "rádias" descobriram da noite prá o dia que também são "jornalistas" e profundos conhecedores de rádio e televisão.
A Cariri tinha tudo para conquistar um bom espaço na cidade, se não fosse "administrada" como um "serviço de alto falantes".
Quanto a sua saída,parabéns por suas posições eles é que saíram perdendo.
É nisto que dá emissoras entregues a politicos despreparados e arrogantes.
Depois ficam tentando enganar os ouvintes rodando vinhetinhas dizendo que a emissora é imparcial e coisa e tal.
Falácias flácidas para acalentar bovinos!

Anônimo disse...

Não condenes. Desculpa
Esquece toda ofensa
Quem te fere ou te espanca
Já tem a dor da culpa.
Não precisa punir
Quem já sofre por si.
Quem prejudica os outros
Dilapida a si mesmo.
Ore e ajude em silêncio
A quem te fere ou humilha.

Anônimo disse...

pena que a rádio cariri AM que ERA a mais ouvida em campina, perdeu esse rótulo. quem perdeu foi a rádio, deixar de ter os melhores jornalistas da cidade, vc e josusmar.
só desejo aos dois boa sorte!

pelo que eu vi na carta,
tem gente da família e de fora também, que se acham os donos da emissora.
por fim deu no que deu, perderam os melhores.
eu era o ouvinte que não perdia o jornal da cariri nem o fogo cruzado.

donos da radio cariri, só lamento...

Anônimo disse...

Você foi bastante feliz ao dizer que lá todo mundo quer mandar. Até o operador de áudio , quer dar as cartas, um cara que ninguém aguenta trabalhar como ele. E pessoas que surgem do nada e acham que são os melhores do mundo, devido ao sobrenome.Falta de esculhambação. Na marca da exclusividade...o poeta forrozeiro, rsrsrs.

.