ARTIGO: CASSIANO NEGA BLEFE

O vereador Cassiano Pascoal, que comanda o PSL em Campina Grande, negou ontem que a informação de que o partido pretende lançar candidato próprio a prefeito nas eleições de 2012 seja um blefe. Segundo Cassiano, o projeto é real e, caso a legenda consiga pavimentar essa candidatura, ele mesmo deverá ser o prefeitável social liberal. Do contrário, se resigna a disputar a reeleição. “A intenção do PSL de ter candidatura própria em Campina é real, porque isso faz parte de um projeto de expansão do partido. Não é um blefe. Se a candidatura for viabilizada daqui para o ano que vem, a gente mantém. Se não for viabilizada, não adianta nadar, nadar e morrer na praia”, explicou.

Segundo Cassiano, de olho no aumento das vagas no legislativo campinense, o PSL espera eleger pelo menos três vereadores no pleito de 2012. “Estou trabalhando com mais dedicação à formação proporcional do que para a candidatura a prefeito, porque creio que temos condições reais de eleger entre três e quatro vereadores”, disse.
Cassiano ainda esclareceu que, se partir para a disputa majoritária, sua mãe, a médica e secretária municipal de saúde Tatiana Medeiros, não estará entre os postulantes a uma das 23 vagas da Câmara. Ele considera que é inviável o lançamento de dois candidatos da família em uma eleição municipal. O parlamentar garante que a intenção de seu partido lançar candidato à prefeitura não indica um provável afastamento do prefeito Veneziano.

“Não, de forma nenhuma! Somos da base do prefeito e a possibilidade de candidatura ou não do PSL vai passar por uma avaliação em conjunto com ele”, assegurou. Questionado se, sendo assim, buscará o apoio do peemedebista – que, por sinal, ao que tudo indica ainda não tem um nome a lançar como sucessor – à sua candidatura, Cassiano Pascoal não titubeia: “Se ele me apoiar, aceito com a maior honra do mundo. Não tinha nem o que pensar mais”. Em suma, a pretensão do PSL não é blefe. Logo, a questão é saber se vai vigorar. O que é improvável.

Nenhum comentário

.