SEM PERSPECTIVA DE DUPLICAÇÃO, BR 230, DE CAMPINA AO SERTÃO, É UM MATADOURO. VÍTIMA DA VEZ FOI SALOMÃO GADELHA

O ex-prefeito de Sousa, Salomão Gadelha, perdeu a vida no início da noite desta quinta-feira na BR 230, entre os municípios de São Bento e Pombal. Figura conhecida e polêmica, Salomão, que durante a campanha chamava a si mesmo de “o doido” e realizava comícios sobre tamboretes, é mais um personagem público a encontrar na BR o fim de sua trajetória.

Mas, além dos famosos, não são poucas as pessoas comuns que têm morrido entre Campina Grande e o Sertão paraibano, em acidentes na BR 230. Mesmo assim, não parece haver uma sinalização efetiva de esforços para duplicação da rodovia, o que deixa a certeza de que outras tantas vidas vão se perder nesse caminho.

É certo que a duplicação da BR 230 é um empreendimento caro, pesado, mas é igualmente certo que, havendo vontade política, é possível. E, se não há vontade política, que a população pressione, que a imprensa pressione, que a sociedade paraibana se manifeste.

A BR 230 é um corredor fundamental, com grande tráfego. Sua duplicação é uma necessidade premente, e deveria ser questão de honra para todo governo. Até hoje foram tantos, hoje foi Salomão Gadelha, amanhã serão outros tantos, vidas ceifadas que não parecem comover o poder público a adotar as medidas que estariam ao alcance de suas mãos.

Nenhum comentário

.