REPORTAGEM - PARTE 3: AS PIONEIRAS DA POLÍTICA PARAIBANA

1945: Duas senhoras participaram da primeira eleição aberta para a Câmara dos Deputados: Neusa Vinagre de Andrade, que foi também pioneira entre as mulheres formadas em medicina no Nordeste; e Luzia Ramalho Clerot, mãe do ex-deputado federal José Luiz Clerot. Receberam pequenas votações, mas realizaram um grande feito. Neusa, candidata pelo PDC, teve 356 votos, e Luzia, do PCB, 28.

1947: A primeira eleição democrática para a Assembleia Legislativa contou com apenas uma representante do sexo feminino: Maria Augusta de Oliveira, do PC do B, que ficou entre os menos votados, com apenas 106 sufrágios.

1982: Finalmente uma mulher é eleita para a Assembleia Legislativa do Estado: Vani Leite Braga de Figueiredo (foto 1), do PDS, irmã de Wilson Braga (atualmente deputado federal), eleito governador naquele mesmo ano. Vani, que recebeu a sexta maior votação, totalizando 21.177 sufrágios, reelegeu-se em 1986, 1990 e 1994. Atualmente, aos 72 anos, é prefeita do município de Conceição, reduto da família Braga.

1986: Pela primeira vez uma mulher é eleita para a Câmara dos Deputados: Lúcia Braga (foto 2), então do PFL, que obteve 92.324 sufrágios – a terceira maior votação. O sobrenome não é coincidência. Wilson Braga, que ajudara a fazer da irmã a primeira deputada estadual paraibana, agora colaborava para eleger a esposa como primeira deputada federal.

1994: Pela primeira vez uma mulher concorre ao Governo do Estado: Novamente Lúcia Braga registra o nome na História. A eleição é vencida por Antônio Mariz. Também é a primeira vez que a Paraíba tem uma candidata ao Senado: Francisca Pereira Lopes Zenaide (PC do B), 6ª colocada, com 65.972 votos.

Reportagem publicada no Diário da Borborema deste domingo, 17 de outubro

Nenhum comentário

.