ARTIGO: 'A ÚLTIMA ESPERANÇA'

Era bastante provável que o ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) não conseguisse reverter o indeferimento de seu registro por meio do recurso ao Tribunal Superior Eleitoral. Outro dia havíamos comentado que, apesar das especulações sem fim que sempre rodeiam os julgamentos de Cássio, a tendência natural era que suas esperanças se voltassem de fato para o Supremo Tribunal Federal, a corte máxima, a última instância, a palavra final.

Pois bem, deu-se que, na última quinta-feira, enquanto os candidatos ao Governo do Estado debatiam na TV Borborema, o TSE confirmava a decisão do TRE, mantendo a impugnação do registro do ex-governador.

Foi uma decisão apertada, um quatro a três que, de qualquer forma, parece dar mais algumas esperanças ao tucano, principalmente pelo fato de dois dos três ministros do TSE que também têm assento no Supremo terem votado em favor do recurso de Cássio.

Ele espera que, no STF, Marco Aurélio de Melo e Ricardo Lewandowski mantenham as posições manifestadas no julgamento da quinta, e parece animado com a argumentação de um dos ministros. “O voto do presidente do TSE, que também é ministro do STF, aponta para a vitória final”, comentou Cássio, ontem no Twitter, fazendo referência ao ministro Lewandowski, para quem a pena do tucano já se exauriu.

Em entrevistas a emissoras de rádio, Cássio afirmou que se mantém “calmo e sereno, com a consciência tranqüila”, e disse que respeita as decisões do TRE e do TSE, embora não se conforme com elas. Ele ainda fez menção ao seu principal adversário, o governador José Maranhão, e ao partido de Maranhão, o PMDB, que, para o tucano, patrocinam o que ele classifica como perseguição.


Agora, resta ao ex-governador fazer contas e conjecturas sobre os possíveis posicionamentos dos ministros do Supremo. Mas, além da indefinição quanto ao seu futuro, deve inquietá-lo nesse momento saber que, como diriam os antigos, cabeça de magistrado é terra em que ninguém anda.

Defesa

O advogado Harrisson Targino, um dos que defendem o ex-governador Cássio Cunha Lima, corrobora a expectativa do tucano quanto à esperança de reverter seu impedimento no Supremo. Harrisson está em Brasília trabalhando no novo recurso.

Vontade popular

Harrisson disse sentir-se como um embaixador dos eleitores do tucano: “Eu fico com a sensação de representar os 1.004,183 paraibanos que votaram em Cássio”. E Cássio voltou a falar em soberania popular: “Numa democracia, no Estado de Direito, não há como ser punido 02 vezes pelo mesmo fato. Já cumpri minha pena. Que vença o povo!”.

Bastidores

Ainda sobre o debate da última quinta na TV Borborema, uma cena presenciada por poucos foi o rápido encontro entre o prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo, e o candidato do PSB ao Governo do Estado, Ricardo Coutinho.

Ex-aliados

O encontro, que não passou de um rápido e frio cumprimento nos corredores da emissora, aconteceu quando Ricardo Coutinho chegava ao estúdio do debate, ao mesmo tempo em que Veneziano, que havia acompanhado Maranhão até lá, saía. O prefeito saudou Ricardo e Damião Feliciano, que o acompanhava: “Boa noite, candidato”.

Nenhum comentário

.