ARTIGO: ROUPA SUJA NO PRP

Cada vez menos as pessoas acreditam na política. E a culpa disso é dos políticos. Não se passa um dia sem a repercussão de uma denúncia, a fumaça de um escândalo, ou, no mínimo, a propagação de uma baixaria nova, uma troca de farpas em nível sórdido.

A política não deveria ser isso, mas é nisso que os políticos a tem transformado. Já perceberam que, quando aliados rompem, tudo o que antes eram só qualidades um no outro transforma-se rapidamente em defeitos, os piores defeitos possíveis? É como se, num passe de mágica, alguém descobrisse que o outro, a quem atribuía os melhores adjetivos, na verdade não passa de um ser vil e ignóbil.

Um dos novos escândalos envolve dirigentes do PRP na Paraíba. A executiva estadual da legenda, a cargo da presidenta Maria da Luz, resolveu destituir os presidentes de doze diretórios municipais: Amparo, Conde, Cuité, Guarabira, Marcação, Massaranduba, Mataraca, Mogeiro, Santa Cecília, São João do Rio do Peixe, Soledade e João Pessoa.

A decisão teria sido motivada pelo mau desempenho do partido nas eleições do último dia 03, já que o PRP não conseguiu sequer eleger um deputado estadual. Além disso, vários membros da sigla apoiaram a candidatura de José Maranhão, apesar de o partido estar formalmente coligado com Ricardo Coutinho.

Um destes casos é justamente do presidente do PRP em João Pessoa, o vereador Valdir Dowsley. Dinho, como é mais conhecido, segue apoiando o candidato do PMDB e, pelo que mandou dizer ontem, não vai aceitar a destituição de boa vontade.

Além de recorrer à Justiça para manter-se no comando do PRP pessoense, Dinho fez sérias acusações contra Maria da Luz, de um suposto desvio de recursos do partido que, ao invés de serem depositados na conta da legenda, teriam ido para a conta corrente de uma filha da dirigente. A denúncia é grave e pede investigação. Uma pergunta, no entanto, paira no ar: se há muito sabia de tudo, por que só agora Dinho resolveu denunciar?

Desempenho

O PRP fez apenas o primeiro e o segundo suplentes de deputado estadual, respectivamente Reginaldo Pereira e Jóia Germano. Jóia, que ficou a três mil votos de ser eleito, não teve o apoio de seus dois correligionários na Câmara Municipal.

Câmara Federal

Na disputa pela Câmara dos Deputados, o PRP teve apenas dois candidatos – e votações magérrimas. Maurílio Joca Cabral, mais conhecido como Tião, foi o melhor colocado, obtendo 1.687 sufrágios, que lhe renderam na 44ª posição; Flávio Menezes, que preside o PRP em Campina Grande, recebeu 1.228 votos, sendo o 47° colocado.
.
Publicado no Diário da Borborema de 19 de outubro de 2010

Nenhum comentário

.