ENIVALDO RIBEIRO: 'PARECE QUE NOS QUERIAM TIRAR DA COLIGAÇÃO. PARTIU PARA A DESMORALIZAÇÃO, E PARA A DESMORALIZAÇÃO O PP NÃO ENTRA'

O presidente do Partido Progressista na Paraíba, Enivaldo Ribeiro, em entrevista exclusiva, comenta rompimento com Ricardo Coutinho, diz que o socialista foi fraco, reclama de Rômulo e de Cássio, e garante que o PP segue oposição a Veneziano.
.
Lenildo Ferreira: Por que o PP rompeu com o PSB?

Enivaldo Ribeiro: Esse rompimento se deu por falta de compromisso. O PP reivindicava participação na chapa majoritária, o que não aconteceu. Ney Suassuna foi chamado para vir a Paraíba assumir o lugar de Efraim Morais, e acabou escanteado. A vaga de vice, que nos interessava, foi entregue a Rômulo Gouveia, com a condição de que sua votação ficaria para ser dividida entre o PP e o PDT, mas depois entrou a candidatura de Romero Rodrigues. Pedimos que essa candidatura fosse retirada, mantendo o compromisso que havíamos firmado, mas isso não ocorreu.

Parece até que nos queriam tirar da coligação, porque como teríamos que aceitar tudo o que eles querem? Aí partiu para a desmoralização, e para a desmoralização o PP não entra.

Quem o partido considera o responsável por esse rompimento?

Os partidos como um todo que estão no bloco de Ricardo, porque essa situação deveria ter sido objeto de uma conversa com todo mundo, para impedir que isso acontecesse.

Por que só nós temos que ceder em tudo, a vida toda? Cedemos a presidência da Câmara aqui em Campina Grande, que era compromisso de Cássio nos apoiar; desistimos da candidatura de Aguinaldo a prefeito em 2008, a pedido de Cássio; a mesma coisa na presidência da Assembleia Legislativa, Aguinaldo também cedeu.

Ficamos sem a vice na chapa de Ricardo, sem o senador. Aceitamos Rômulo, e agora teríamos que ceder mais uma vez? Não pedimos que eles cedessem em nada, apenas que cumprissem o compromisso que foi formado.

Rômulo Gouveia disse que ficou surpreso com a decisão do PP (segundo o Jornal da Paraíba). Ele tomou café na casa de Aguinaldo e o ouviu dizer que, com a candidatura de Romero, estaríamos fora. Cássio sabia disso, Ricardo sabia disso, então Rômulo não venha com essa história de que ficou surpreso.

O PSDB se recusou a retirar a candidatura de Romero Rodrigues?

Sim, se recusou. Ao que me consta, o próprio Ricardo tentou fazer com que eles desistissem, e infelizmente ele não teve força para isso. Agora, o porquê, eu não sei, afinal, como você perde um partido por uma candidatura de um deputado? O que é isso? O que há contra a gente?

Como você avalia a postura de Ricardo Coutinho nesse processo?

Achei que ele não teve força, não teve coragem para tomar uma decisão definitiva. Ele tinha que ser líder, e um líder não aceitaria perder um partido por causa de um candidato a deputado federal. Lamento muito porque, pessoalmente, gosto dele, estivemos com ele desde o início, e fizemos de tudo para nos mantermos onde estávamos, mas, no fim, não foi cumprido o último acordo firmado, e assim não dava mais, não tinha jeito.

O PP debandou para o Governo Maranhão? Aderiu por algum interesse?
.
Como, se nós não recebemos nada, nenhuma secretaria? Saímos (da aliança com o PSB) numa circunstância em que, até os últimos momentos, tentamos evitar. Tenho certeza que o próprio Ricardo é homem suficiente para confirmar isso.

Não teve essa história de adesão. Eu lamento muito as declarações de Rômulo, ele não está dizendo a verdade. É uma decepção para mim, um homem que apoiamos quando foi candidato a prefeito, Daniella foi sua vice.. Ele sabia, Aguinaldo disse que não aceitaria a candidatura de Romero, e agora ele diz que está surpreso?

Houve algum acerto com o PMDB com vistas às eleições de 2012?

Não tem esse negócio de adesão. Isso tudo é conversa mole. Não tem nada disso. O pessoal sai fazendo conjecturas, mas Daniella continuará sendo oposição em Campina Grande, oposição ao Governo do Estado, vai criticar quando tiver de criticar. Tudo continua do mesmo jeito, apenas liberamos nossos filiados para votarem em quem quisessem, seja Ricardo Coutinho, seja José Maranhão.

Então o PP não recomenda voto?

Não. O voto majoritário será livre. Temos filiados que votam em Ricardo Coutinho, temos filiados que votam em José Maranhão. O voto está liberado, cada qual vota como quer. Essa é a posição oficial do PP.
.
---
.
Permitida a reprodução, desde que mencionada a fonte e sem modificações que alterem ou tornem dúbio o sentido do conteúdo.

Um comentário

Taty Valéria disse...

Caro Nildo, dê uma olhada no link e veja como é quase impossível confiar num político hoje em dia.

Grande abraço!


http://www.politicapb.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=4891&Itemid=9999

.